Aidê negra africana

Aidê e uma negra africana,
Tinha magia no seu cantar
Tinha os olhos esverdeados
E sabia como cozinhar,
Sinhozinho ficou encantado
E com Aidê ele quis se casar
Nego disse, Aidê , nao se case,
Va pro quilombo pra se libertar

Aidê
Foge pra Camugere
Aidê
Foge pra Camugere

No quilombo de Camugere.
A liberdade Aidê encontrou
Juntou-se aos negros irmaos,
Descobriu um grande amor
Hoje Aidê canta sorrindo,
Е fala com muito louvor
Liberdade nao tem preco,
O negro sabe quem o libertou

Aidê
Foge pra Camugere
Aidê
Foge pra Camugere

Sinhozinho que disse então,
Com quilombo eu vou acabar,
Se Aidê nao se casa comigo,
Com ninguem ela pode casar

Aidê
Foge pra Camugere
Aidê
Foge pra Camugere

Chegando em Camugere,
Sinhozinho se surprendeu
O negro mostrou uma arma,
Que na senzala se desenvolveu
O negro venceu a batalha,
E no quilombo Sinhozinho morreu.

Aidê
Foge pra Camugere
Aidê
Foge pra Camugere